Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"O sucesso vem geralmente àqueles que estão muito ocupados para estar procurando por ele."
(Henry David Thoreau)


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Liminar obriga CSN a realizar adequações no ambiente de trabalho

https://mpt.mp.br/


Volta Redonda - A 3ª Vara do Trabalho de Volta Redonda concedeu liminar, de natureza antecipatória, para que a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) realize diversas adequações em seu meio ambiente de trabalho. A decisão foi tomada a partir de uma Ação Civil Pública (ACP) ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho em Volta Redonda.

Em 2011 o MPT em Volta Redonda instaurou um Inquérito Civil por conta de denúncia de irregularidades trabalhistas na CSN Cimentos S.A. – empresa incorporada à CSN – relacionadas ao pagamento do adicional de insalubridade. Segundo a denúncia, empregados da CSN Cimentos não recebiam o adicional de insalubridade enquanto trabalhadores diretos da CSN, atuando na mesma área, recebiam o adicional normalmente.

Durante esse período a empresa apresentou diversos laudos técnicos discrepantes e permaneceu negando a existência de irregularidades. Na tentativa de resolver o caso extrajudicialmente, o MPT em Volta Redonda sugeriu a assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), no entanto a empresa não entendeu pela celebração do acordo.

Assim, foi ajuizada a ACP pela qual foi deferida a liminar para determinar diversas adequações no meio ambiente de trabalho para maior segurança dos trabalhadores, tais como: manter o uso de anteparos e/ou biombos de proteção na área de solda, instalar sistema de exaustão portátil na operação de soldagem, além de minimizar a exposição dos trabalhadores a poeira industrial, fornecendo e fiscalizando o uso de proteção respiratória.

A decisão, proferida pelo juiz Renato Abreu Paiva, definiu multa diária no valor de R$5mil por trabalhador prejudicado e por item descumprido. O juiz entendeu que a empresa já deveria estar cumprindo as obrigações e ressaltou o perigo da falta de adequação no meio ambiente de trabalho:

“Havendo fundado receio de que a manutenção do estado de coisas nos estabelecimentos da ré permaneça a lesar os direitos sociais dos trabalhadores, o que inclusive pode ocasionar novos acidentes do trabalho, tal qual o que ocorrera em data recente (15 de maio de 2019) no interior da empresa reclamada, demonstrando a sua contumácia em acidentes laborais e a sua inação em implementar medidas de segurança efetivas (e não apenas paliativas) ”.

Segundo a procuradora do MPT em Volta Redonda, Vanessa Martini, o ajuizamento da demanda visa a implementação de medidas relacionados ao meio ambiente de trabalho, de forma a prevenir novos acidentes, além de resguardar a saúde dos trabalhadores.


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2019 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet