Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"Um passo de cada vez. Não consigo imaginar nenhuma outra maneira de realizar algo."
Michael Jordan


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Funcionários da empresa Vyga voltam a receber após intervenção do MPT

http://www.prt24.mpt.mp.br/


Um recente acordo firmado entre representantes do Ministério Público do Trabalho (MPT), do Estado de Mato Grosso do Sul e da empresa Vyga Prestadora de Serviços de Conservação e Asseio Eireli buscou encerrar pendências trabalhistas que se arrastam há meses, como atrasos no pagamento de salário, férias, auxílio-alimentação e vale-transporte. O compromisso também possibilitou regularizar o fornecimento de materiais de higiene e limpeza para diversos órgãos e entidades públicos.

Conforme a proposta assinada no último dia 4, o Executivo Estadual se comprometeu a transferir entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão para a Vyga, como parte dos quase R$ 6 bilhões empenhados para subsidiar o Contrato Corporativo nº 007/2016. Em contrapartida, a empresa deverá saldar os encargos trabalhistas pendentes de todos os funcionários que laboram em órgãos e entidades abarcados por contratos de adesão, assim como normalizar as certidões previdenciária e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

O acordo ainda condiciona pagamentos posteriores do Estado de Mato Grosso do Sul à Vyga somente após a apresentação de documentos que atestem a quitação das obrigações trabalhistas e que contenham as assinaturas dos empregados ratificando o recebimento dos valores.

O cumprimento das cláusulas constantes do compromisso será objeto de fiscalização pelo Ministério Público do Trabalho, cuja violação implicará retenção dos demais repasses financeiros à prestadora de serviços.

Participaram da audiência de assinatura do acordo, a procuradora do MPT Cláudia Fernanda Noriler Silva (à direita na foto), a procuradora-geral do Estado Fabíola Marquetti Sanches Rahim (ao centro), o procurador-geral adjunto do Estado Ivanildo Silva da Costa e a proprietária da Vyga, Márcia Regina Pereira Rodrigues.

Histórico de violações

Desde 2013, o MPT tem recebido denúncias de funcionários da Vyga relatando situações semelhantes aos casos identificados a partir de novembro do ano passado. As irregularidades também alcançam ausência de exames médicos periódicos e equipamentos de proteção individual fornecidos aos empregados em desacordo com as atividades desenvolvidas.

Naquele ano, a empresa chegou a assinar um Termo de Ajuste de Conduta com o Ministério Público do Trabalho, porém um dos itens do acordo foi desrespeitado, gerando pagamento de multa no valor de R$ 500.

Em 2017, apenas no Município de Três Lagoas – distante a 325 quilômetros da capital Campo Grande – pelo menos 160 empregados, sendo alguns com deficiência, foram atingidos pela inadimplência da empresa.

Atualmente, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a Vyga tem 557 trabalhadores.

Fonte: Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2019 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet