Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar para atravessar o rio da vida. Ninguém, exceto tu, só tu. "
(Nietzsche)


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Fabricante de produtos de limpeza é condenada por submeter trabalhadores a riscos no ambiente de trabalho

http://www.prt21.mpt.mp.br/


Instalações sem proteção e falta de programas de prevenção geraram condenação no valor de R$ 50 mil

Natal (RN), 12/04/2019 - A empresa Prolim Indústria e Comercio LTDA foi condenada, pela 2ª Vara do Trabalho de Natal, a corrigir irregularidades relacionadas à saúde e segurança de seus trabalhadores. As investigações confirmaram denúncias de que a empresa não mantinha instalações adequadas às atividades, com riscos de queda de altura e falta de medidas protetivas a riscos de incêndio. A decisão decorre de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT-RN).

Durante o processo, a empresa não apresentou defesa, sendo julgada à revelia. De acordo com o que foi apurado pela fiscalização, a Prolim não tinha documentação que comprovasse que os empregados foram submetidos a treinamento sobre o uso de EPI, além de estar com o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) vencido desde 2015. Quanto às instalações, foi verificado que o acesso aos extintores de incêndio estava obstruído, e que o vestiário dos trabalhadores não possuía porta de acesso que assegurasse o resguardo conveniente. Também não foi constatada a realização de exames médicos admissionais.

Para o procurador do MPT-RN José Diniz de Moraes, que assina a ação, as normas descumpridas pela empresa configuram “um severo comprometimento da salubridade, segurança e higidez do meio ambiente de trabalho oferecido pela empresa aos seus empregados e aumentando os riscos de acidentes e doenças ocupacionais”, destaca. Foram listadas pelo procurador oito Normas Regulamentadoras descumpridas pela empresa, verificadas em perícia.

Obrigações a fazer - Sob pena de pagamento de multa diária de R$ 1 mil por cada empregado, a Prolim deverá cumprir as seguintes obrigações para adequar-se à legislação de saúde e segurança, de acordo com a sentença: orientar e treinar os trabalhadores sobre o uso adequado, guarda e conservação do equipamento de proteção individual; manter atualizado o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), especificar os exames complementares a serem realizados, além de elaborar relatório anual; realizar o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e realizar exames médicos admissionais.

Tendo em vista os riscos em suas instalações, a empresa deve realizar, pelo menos uma vez ao ano, a análise global do programa de prevenção de riscos ambientais; adotar medidas de prevenção de incêndios e, por fim, manter as instalações elétricas construídas, montadas, operadas, reformadas, ampliadas, reparadas e inspecionadas, além de mantê-las supervisionadas por profissional autorizado.

A empresa foi condenada a pagar indenização por danos morais coletivos, pela ausência de adoção de medidas protetivas relacionadas ao ambiente laboral, no valor de R$ 50 mil, a ser revertido a instituição indicada pelo MPT.



Assessoria de Comunicação (Tatiana Lima e Rachid Jereissati)
Ministério Público do Trabalho no RN


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2019 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet