Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"Não sou como deveria ser"
Nem o que eu queria ser"
Ou o que virei a ser"
Mas estou grato por não ser mais quem costumava ser."
Benjamin Franklin


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

MPT10: Mantida condenação da Secretaria de Saúde por meio ambiente de trabalho insalubre no Hospital Regional de Santa Maria

Fonte: http://www.prt10.mpt.mp.br/ (publicada em 12/04/2018)


Em setembro de 2017, a Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região confirmou, em segunda instância, a condenação da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, após o Ministério Público do Trabalho (MPT), representado pelo procurador Joaquim Rodrigues Nascimento, identificar irregularidades no meio ambiente de trabalho no setor de radiologia do Hospital Regional de Santa Maria.

A Determinação Judicial atendeu aos pedidos do MPT, que apontou, em relatório pericial, pendências como: 1) ausência de exaustor na câmara escura; 2) inobservância do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), adequação da ventilação forçada no ambiente de manipulação e 3) armazenagem de produtos químicos, entre outros.

O Processo Judicial, que foi iniciado em 2014, ficou suspenso por seis meses. O prazo foi concedido à Secretaria para correção das irregularidades, mas a pasta não cumpriu integralmente com o determinado.

“Cabe destacar que em abril de 2014, com a anuência do juízo, o MPT acordou em suspender o processo por seis meses, prazo em que o réu corrigiria as irregularidades detectadas. O MPT, inclusive, abriria mão do pedido de dano moral coletivo, na hipótese de o demandado sanar integralmente as irregularidades noticiadas, o que não ocorreu”, explica o procurador Joaquim Nascimento.

Após a condenação em primeira instância e a confirmação pela Primeira Turma do TRT10, o Distrito Federal opôs Embargos de Declaração, sob o argumento de que a Justiça do Trabalho não poderia julgar o caso, pois, segundo sua defesa, trata-se de processo envolvendo servidores públicos com vínculo jurídico-administrativo.

A desembargadora relatora Elaine Machado Vasconcelos refuta a alegação. Ela destaca que a Turma não discute o mérito da prestação laboral envolvendo o vínculo jurídico administrativos dos servidores, mas sim julgou questões referentes a higiene e segurança no meio ambiente de trabalho, itens que são analisados pela Justiça Especializada.

“Diante das conceituações apontadas e sem perder de vista a coerência dos fundamentos sedimentados no julgado embargado, verifica-se que as considerações articuladas pelo embargante não têm consistência para alicerçar as alegadas contradições e obscuridades, revelando apenas o seu descontentamento com a decisão”, finaliza.

A Condenação determina que as irregularidades apontadas sejam reparadas, no prazo de 60 dias após o trânsito em julgado da Ação.

Também estabelece penalidade de R$ 100 mil, a título de dano moral coletivo. O valor deve ser destinado a entidades de interesse social.

Processo nº 0000201-46.2014.5.10.0018


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2018 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet