Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"A principal missão do homem, na vida, é dar luz a si mesmo e tornar-se aquilo que ele é potencialmente."
Erich Fromm


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Pleno mantém validade de eleições sindicais dos seguranças e vigilantes

Fonte: http://www.trt6.jus.br/


O Pleno do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT-PE) julgou mandado de segurança que tinha por objetivo invalidar as eleições do SINDESV-PE – que representa os empregados do setor de segurança, vigilância e transporte de valores do estado de Pernambuco – em razão de possíveis irregularidades no pleito. Como o processo ainda não chegou à etapa da sentença, a anulação seria feita através de tutela provisória de urgência. O pedido, no entanto, foi negado pelos desembargadores da Corte, sob o fundamento de não haver os pressupostos necessários para admitir uma decisão antecipatória.

Um dos associados do SINDESV-PE ingressou com ação trabalhista alegando irregularidades na escolha do representante sindical. Segundo ele, o estatuto da entidade de classe prevê que só quem estiver filiado há, pelo menos, seis meses tem direito a participar das eleições. Porém no pleito em referência foram aceitos votos de 145 trabalhadores com menos tempo de inscrição , o poderia mudar o resultado nas urnas, já que a diferença que elegeu a chapa vitoriosa foi de 62 votos. O equívoco teria sido cometido pelo representante do Ministério Público do Trabalho, que mediou o processo.

Ainda de acordo com o autor, cabível a tutela de urgência, pois a espera causaria a perpetuação no poder de dirigentes eleitos em processo viciado. Porém tanto o juízo de primeiro grau, que negou a tutela, como os desembargadores do TRT6, que analisaram o mandado de segurança, julgaram inadmissível a pretensão.

O relator da decisão colegiada, desembargador Sergio Torres Teixeira, afirmou que a decisão antecipatória só pode ser deferida quando existem evidências de riscos a um direito de especial relevo – como a vida – ou quando a demora da prestação jurisdicional puder ocasionar dano irreparável ou de difícil reparação, o que não se percebia no caso em comento. “Não há perigo de irreversibilidade da decisão, eis que a entidade sindical continua a ser representada pelos dirigentes eleitos e, acaso o impetrante venha a obter sucesso na ação originária, fica salvaguardado o direito de concorrer em pé de igualdade com os demais”, afirmou o magistrado.

A Justiça Trabalhista ainda irá analisar a regularidade das eleições no transcorrer do processo, com audiências, análise de provas, contestação, etc. Negou-se apenas a anulação do procedimento mediante tutela antecipada, por ser esse um ato excepcional, sujeito à observância da urgência e periculum in mora do caso.


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2018 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet