Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"Seja você quem for, seja qual for a posição social que você tenha na vida, a mais alta ou a mais baixa, tenha sempre como meta muita força, muita determinação e sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um dia você chega lá. De alguma maneira você chega lá. "
(Ayrton Senna)


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Ministério Público do Trabalho investiga terceirização da mão-de-obra em petroquímica

Fonte: http://www.prt19.mpt.mp.br/ (publicada em 01/12/2017)


Órgão ministerial quer saber se prestadoras de serviços terceirizados realizam as mesmas atividades de trabalhadores contratados diretamente pela empresa


Maceió/AL - O Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT/AL) segue acompanhando de perto o avanço da terceirização da mão-de-obra da unidade da Braskem em Alagoas. Em audiência realizada nesta terça-feira (28), o órgão ministerial recebeu representantes da petroquímica, de prestadoras de serviços terceirizados e do Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros, Petroquímicos, Químicos e Plásticos nos Estados de Alagoas e Sergipe (Sindipetro AL/SE). Na pauta, o quadro de contratação de trabalhadores da empresa.

A atuação do MPT/AL tem como base uma fiscalização realizada por auditores fiscais do trabalho na Braskem em 2015. Eles constataram que, em diversos setores da petroquímica, havia empregados próprios da empresa trabalhando junto a terceirizados, desempenhando as mesmas funções, a despeito da diferença salarial entre os dois tipos de contrato de trabalho, de menor remuneração para estes.

Ao longo da instrução do inquérito civil instaurado, o Ministério Público do Trabalho chegou a pedir em audiências anteriores documentos à Braskem, entre eles o plano de “primarização” da mão-de-obra. No entanto, a empresa se negou a apresentar a documentação solicitada na sua totalidade e requisitou a conclusão do procedimento.

Responsável pela condução do inquérito, o procurador do Trabalho Cássio Araújo destacou que, apesar do avanço da prestação de serviços terceirizados no país, as regras da terceirização não são absolutas.

“Se a legislação infraconstitucional amplia a terceirização, de modo a descaracterizar o próprio objeto da empresa, que deixa de ser uma executora de suas atividades para ser uma administradora de contratos, é bem verdade que tal preceito legal entra em rota de colisão com outros das legislações civil, empresarial e tributária. Ele também entra em frontal contradição com preceitos constitucionais, que não podem ser alterados por norma de hierarquia inferior”, disse o representante do MPT/AL.

Para o avanço da investigação, Cássio Araújo concedeu o prazo de 15 dias para o Sindipetro apresentar a relação completa das empresas terceirizadas da Braskem, com os respectivos endereços e objeto dos serviços prestados. O Ministério Público do Trabalho realizará nova audiência com as partes envolvidas no dia 27de março de 2018.


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2018 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet