Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar para atravessar o rio da vida. Ninguém, exceto tu, só tu."
Nietzsche


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Hering é processada por descumprir cota de contratação de aprendizes

Fonte: http://www.prt18.mpt.mp.br/


Empresa se negou a assinar acordo com MPT em Goiás, que requer na Justiça que a empresa seja penalizada em R$ 420 mil

O Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO) ajuizou uma Ação Civil Pública (ACP) contra a Cia. Hering por não cumprir a cota de contratação de aprendizes, prevista na lei nº 10.097/2000. O órgão pede, liminarmente, que a empresa seja obrigada a contratar aprendizes, sob pena de multa no valor de R$ 10 mil por cada trabalhador prejudicado. Além disso, requer também a condenação em R$ 420 mil, por dano moral coletivo.

A ação tramita perante a Vara do Trabalho de Goianésia, onde está localizada a unidade fabril da marca em que foram constatadas as irregularidades. O processo terá, porém, efeito em todo o País, pois o MPT requer que a empresa seja obrigada a cumprir a cota em todas as suas fábricas espalhadas pelo Brasil. Segundo consta em seu site, a companhia é a maior rede de franquias de vestuário do Brasil.

De acordo com o procurador do Trabalho Meicivan Lemes Lima, à frente do caso, foi oferecida à Hering uma proposta de Termo de Ajuste de Conduta (TAC) para regularizar a situação, o que evitaria levar a questão ao judiciário. Porém, segundo Meicivan, a empresa se recusou a firmar o TAC, alegando especialmente que os termos do acordo deveriam se referir apenas à unidade de Goianésia.

“A Hering permaneceu vários anos sem jamais cumprir integralmente a sua conta de aprendizes. No ano de 2013, a Hering em Goianésia deixou de contratar, em média, 14 aprendizes; em 2014, ficaram ociosas 12 vagas; em 2015, foram 27; e em 2016 os números chegaram a 41 aprendizes não contratados. E, após ser investigada pelo MPT, a empresa contratou, em um único mês, 50 aprendizes”, informou o procurador. “Em nosso País, os índices de trabalho infantil são altíssimos, sendo que a contratação de aprendizes vai justamente combater essa situação, oferecendo oportunidades dignas de aprendizado profissional sem que a criança ou o adolescente tenham que sair da escola”, afirmou.

Obrigação legal
A Lei da Aprendizagem determina que as empresas de médio e grande porte empreguem um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% dos trabalhadores contratados, cujas funções demandam formação profissional.
A contratação tem um prazo determinado de, no máximo, dois anos. Para participar, os adolescentes e jovens entre 14 e 24 anos incompletos precisam ter concluído ou estar cursando o ensino fundamental ou médio.


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2017 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet