Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"A perseverança austera, dura, contínua, pode ser empregada pelo mais humilde entre nós e raramente deixa de atingir seu fim, pois seu poder silencioso cresce, irresistivelmente, com o tempo."
(Johann Wolfgang Von Goethe)


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Ruído de call center pode resultar em perda auditiva a trabalhadores da CTIS

Fonte: http://www.prt10.mpt.mp.br/ (publicada em 18/05/2017)


A CTIS Tecnologia S.A. foi processada pelo Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal (MPT-DF) e condenada pela Justiça do Trabalho. Em investigação promovida pelo órgão ministerial, a empresa foi notificada a esclarecer o fato de que exames de audiometrias de empregados aparecerem com resultados anormais, o que pode indicar perda de audição irreversível.

O laudo pericial que recomendou os esclarecimentos, além de a realização de uma avaliação quantitativa do ruído foi entregue à empresa em dezembro de 2015. Em março de 2016, a CTIS apresentou documentos que não esclareceram as questões destacadas.

O procurador Breno da Silva Maia Filho explica que, diante da inércia da empresa, foi preciso buscar a Justiça. “É evidente a recusa da empresa em adequar voluntariamente sua conduta aos ditames legais, colocando em risco a saúde pelo descumprimento de normas relativas à saúde e segurança do trabalhador”.

Em sua Sentença, o juiz do Trabalho Luiz Henrique Marques da Rocha, da 21ª Vara do Trabalho de Brasília, conclui que foi dada a chance para apresentar ao MPT e também à Justiça do Trabalho, a comprovação de que os trabalhadores da Sede em Brasília, no Venâncio 2000, não são prejudicados pelo ruído no trabalho. “Derradeira oportunidade foi concedida por este Juízo, porém, ainda assim, a ré não se desonerou do ônus probatório”.

O magistrado complementa “que não foi cumprida a determinação judicial quanto ao esclarecimento acerca do ‘Parecer Técnico Audiológico’ e da ‘Avaliação de Ruído Ocupacional”.

Ele determinou que a CTIS deve, em 30 dias a contar do trânsito em julgado da Ação, elaborar e apresentar avaliação quantitativa de ruído do call center da empresa em Brasília; entregar Atestado de Saúde Ocupacional dos trabalhadores com audiometrias alteradas; e comprovar a realização das condutas preventivas. Caso descumpra as obrigações, há previsão de multa diária no valor de R$ 5 mil por item.

A título de dano moral coletivo, foi fixada indenização no valor de R$ 100 mil. Segundo o juiz Luiz Rocha, além de pedagógica, a sanção é justificada em razão da ré tentar ludibriar o MPT e iludir o Judiciário, “apresentando provas que nem sequer diziam respeito ao processo em exame”.

Processo nº 0001294-64.2016.5.10.0021


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2017 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet