Faça um cadastro gratuito e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do site:
E-mail  
Senha
Homepage

Cadastro

O Professor

Cursos e Agenda

Palestras

Notícias

Comentários do Professor

Material do Professor

Artigos

Vídeos

OAB

Concursos Públicos

Bibliografia Indicada

Legislação

Motivação

DJ Leone Pereira

Galeria de Fotos

Sites Indicados

"Precisamos ser pacientes, mas não ao ponto de perder o desejo; devemos ser ansiosos, mas não ao ponto de não sabermos esperar. "
(Max Lucado)


Siga o Professor
Leone Pereira

Notícias

Carrefour tenta conciliação com o MPT em processo milionário sobre saúde e segurança no trabalho

Fonte: http://www.tst.jus.br/ (publicada em 19/04/2017)


O ministro Douglas Alencar Rodrigues, do Tribunal Superior do Trabalho, realizou nesta quarta-feira (19) audiência de conciliação entre o Carrefour Comércio e Indústria Ltda. e o Ministério Público do Trabalho (MPT). O processo em discussão trata do descumprimento de normas de saúde e segurança no ambiente de trabalho.

O MPT ajuizou ação civil pública contra o Carrefour com base em denúncias e comprovações de que a empresa descumpria normas em duas lojas, em Natal (RN), durante os anos de 2010 e 2011. Segundo a Procuradoria, na maioria dos setores do hipermercado, a quantidade de afastamentos por motivo de doença e acidente de trabalho, nesses anos, superou a metade do número de trabalhadores em cada setor. A situação era mais recorrente nos serviços relacionados a atendimento de caixa.

O juízo de primeiro grau determinou, entre outras medidas, o fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs) e a implementação de ações e programas de controle médico de saúde ocupacional e de prevenção de riscos a acidentes de trabalho. A sentença ainda condenou o Carrefour a pagar R$ 20 milhões, como indenização por dano moral coletivo, e multa de R$ 7 milhões pelo descumprimento de parte da decisão que antecipou os efeitos da tutela.

O Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (RN), no entanto, reduziu a indenização para R$ 3 milhões e a multa para R$ 1 milhão, em vista das ações já realizadas pelo hipermercado com o objetivo de cumprir as determinações judiciais.

A empresa recorreu ao TST, mas o relator, ministro Douglas Rodrigues, em decisão monocrática, não proveu o agravo de instrumento, por considerar que o recurso de revista do Carrefour descumpriu requisito processual disposto no artigo 896, parágrafo 1º-A, inciso I, da CLT. No despacho, o ministro ainda ressaltou a legitimidade do Ministério Público para propor a ação diante da conduta genérica do empregador que implicou lesão de natureza coletiva.

Audiência de conciliação

O hipermercado requereu a análise da decisão monocrática pela Sétima Turma, mas, antes do novo julgamento, pediu a conciliação. Hoje, a empresa apresentou proposta de acordo, mas o MPT disse que não seria possível analisá-la por completo durante a audiência. Então, ficou acertado que o Carrefour e o Ministério Público vão negociar diretamente entre eles, e o resultado será comunicado ao relator. Para a realização das tratativas, o processo está suspenso por 60 dias.

Na avaliação do ministro, a audiência foi positiva. “Demos um primeiro passo, no sentido não apenas de regularizar uma situação manifestamente irregular que o Ministério Público identificou, mas também de garantir que os empregados atuais e futuros vinculados a essa empresa tenham um ambiente de trabalho seguro e saudável”, afirmou. “A audiência foi importante para estabelecer um canal de diálogo direto entre as partes, com a possibilidade de participação futura do TST, se necessário for, para se chegar a um acordo”, concluiu.

Processo: Ag-AIRR-127700-29.2012.5.21.0001


  Imprimir esta notícia

[ retornar ]

® 2017 Professor Leone Pereira - Todos os direitos reservados Desenvolvido por InWeb Internet